Global Point of Care
Mobile Navigation button

COMBATE À RESISTÊNCIA AOS ANTIBIÓTICOS COM UM DIAGNÓSTICO RÁPIDO.

A resistência antimicrobiana (AMR) ocorre quando os micróbios se tornam imunes aos medicamentos que anteriormente os combatiam. O processo acontece naturalmente, mas o mau uso dos antibióticos em seres humanos e animais está acelerando o problema. Para acompanhar o ritmo, o nosso comportamento precisa evoluir mais rápido que os micróbios.

O QUE ACONTECE QUANDO OS ANTIBIÓTICOS DEIXAM DE SER EFICAZES?

Após centenas de anos de avanços médicos regulares, estamos vendo a possibilidade real de retrocessos médicos.1

Devido à resistência aos antibióticos, um número crescente de infecções bacterianas — como pneumonia, tuberculose e gonorreia —, está se tornando cada vez mais difícil de ser tratado à medida que os micróbios ficam mais resistentes ao tratamento.

É provável que, um dia, os procedimentos médicos, como o transplante de órgãos, a quimioterapia para tratar o câncer, o controle do diabetes, as cesarianas e as reconstruções de quadril sejam considerados de risco muito alto — e que o risco de morrer de uma infecção comum supere os benefícios do procedimento médico.

Idosos e pessoas imunocomprometidas podem apresentar um risco maior de morrer de uma infecção resistente ao medicamentos1, mas a resistência antimicrobiana é um problema muito maior: Sempre que alguém da comunidade abusa de antibióticos, os medicamentos se tornam menos eficazes para todos na comunidade.

O desenvolvimento de novos medicamentos não é suficiente. A descoberta de novos antimicrobianos é muito lenta para acompanhar a rapidez com que os micróbios estão evoluindo para resistir aos medicamentos tradicionais.2 Precisamos preservar a eficácia dos antimicrobianos que temos atualmente.

Igualmente importante, é fundamental nos afastarmos da prescrição excessiva e ampla de antibióticos e optarmos por uma terapia mais direcionada.

What happens when antibiotics stop being effective?

90% das infecções do trato respiratório (ITRs) são causadas por um vírus.3

A bactéria streptococcus A é a causa da faringite aguda (dor de garganta) em apenas 15 a 30% dos casos, no entanto, os antibióticos são prescritos em até 75% dos casos.4

Todos os anos, 480.000pessoas desenvolvem tuberculose resistente a múltiplos medicamentos no mundo todo.5

As mortes anuais resultantes de infecções com resistência antimicrobiana podem aumentar para 10 milhões por ano em 2050, em comparação com as 700.000 atuais.6

Imagine se seu bebê recém-nascido for infectado por uma cepa resistente de pneumonia e entrar em coma? Ou se sua avó sobreviver a uma cirurgia de bypass — e vier a falecer devido a uma leve infecção que se mostrou resistente a todos os medicamentos?

NÃO VAMOS PARAR ATÉ QUE O USO DESNECESSÁRIO DE ANTIBIÓTICOS TAMBÉM PARE.

Test Target Treat – An Animated Story

Test Target Treat – Uma história em desenho animado

Veja como o Test Target Treat prepara você para tomar decisões específicas de tratamento imediatas, com diagnósticos rápidos.

ASSISTA AGORA >

Na Abbott, sempre estivemos comprometidos em fornecer informações confiáveis e acionáveis por meio de testes de diagnóstico rápidos, contribuindo para melhores resultados clínicos e econômicos de saúde a nível global. 

A nossa abordagem comercial e socialmente consciente concentra-se na criação de soluções de diagnóstico inovadoras e econômicas com foco nas doenças mais intratáveis de todas as populações no mundo todo.

A resistência aos antibióticos é um desafio global que levamos muito a sério — e de forma pessoal. Ao fornecer um conjunto abrangente de informações de diagnóstico aos profissionais de saúde, a Abbott possibilita uma mudança no comportamento em relação à prescrição a fim de evitar o uso excessivo de antibióticos, que gerou a prevalência crescente de infecções hospitalares graves, como MRSA (Staphylococcus aureus resistente à meticilina) e C. difficile

A nossa iniciativa Test Target Treat™ capacita os profissionais de saúde a tomarem decisões de tratamento direcionadas mais cedo — reduzindo o uso inadequado de antimicrobianos e a propagação da resistência.

Os testes de diagnóstico rápido (TDRs) podem diminuir a quantidade de prescrições inadequadas, reduzindo o tempo de recebimento do resultado do teste e orientando as decisões de tratamento. A redução do tempo de análise de um resultado beneficia consideravelmente a gestão de doenças infecciosas.7

O PODER DO TESTE DE DIAGNÓSTICO RÁPIDO NO POINT OF CARE.

A IDENTIFICAÇÃO IMEDIATA DE UM ORGANISMO POTENCIALMENTE INFECTANTE PODE AJUDAR OS MÉDICOS A DETERMINAR SE DEVEM OU NÃO INICIAR UM ANTIBIÓTICO.

A Abbott oferece o melhor diagnóstico rápido da categoria, permitindo que os profissionais de saúde diferenciem as infecções do trato respiratório que requerem tratamento das que são autolimitantes, bem como várias outras ferramentas de diagnóstico que podem ajudar os médicos a identificar patógenos no point of care e a definir mais cedo uma estratégia de tratamento apropriada

Os testes microbiológicos rápidos oferecem oportunidades de programas de gestão antimicrobiana para melhorar o uso de antimicrobianos e os resultados clínicos e econômicos.8, 9, 10, 11 As técnicas padrão para a identificação de organismos baseiam-se em métodos fenotípicos, que podem levar de 48 a 72 horas para fornecer os resultados finais, em comparação com os testes de diagnóstico rápido, que fornecem os resultados finais em poucos minutos.

O uso de diagnósticos rápidos existentes e o desenvolvimento de novos diagnósticos rápidos são componentes críticos da estratégia global para o combate da AMR2

OS TESTES MICROBIOLÓGICOS RÁPIDOS REPRESENTAM UM AVANÇO SIGNIFICATIVO NA GESTÃO DE DOENÇAS INFECCIOSAS.12

A Abbott oferece uma ampla variedade de ferramentas de diagnóstico rápido que auxiliam os profissionais de saúde a distinguir as infecções do trato respiratório que requerem tratamento daquelas que são autolimitantes, — e a definir mais cedo uma estratégia de tratamento adequada. 

  • Influenza – teste molecular rápido e preciso em menos de 15 minutos
  • Faringite estreptocócica A – teste molecular rápido e preciso em menos de 8 minutos
  • C. difficile – detecte GDH e toxina A/B simultaneamente em menos de 30 minutos
  • Malária – primeiro RDT pré-qualificado pela OMS e primeiro e único RDT de malária liberado pela FDA
ID NOW

Os testes de diagnóstico rápido podem transformar a luta contra as superbactérias ao mudar a forma que usamos os antibióticos e outros importantes medicamentos.2

Rapid Diagnostics would reduce unnecessary prescription.

O DIAGNÓSTICO RÁPIDO REDUZ A PRESCRIÇÃO DESNECESSÁRIA.

  • 27 milhões recebem antibióticos desnecessariamente
  • 13 milhões que precisam de antibióticos os recebem

De um total de 40 milhões de pessoas que recebem antibióticos para problemas respiratórios.13

TESTE PRIMEIRO PARA COMBATER A RESISTÊNCIA AOS ANTIBIÓTICOS

A pesquisa é bem clara: Pessoas com infecções resistentes aos antibióticos estão consideravelmente mais propensas a morrer dessas infecções. E, mesmo que não morram, elas tendem a permanecer muito mais tempo no hospital e a ter maior risco de reinfecção e infecções secundárias.

Para evitar a prescrição e o uso inadequados de antibióticos — e a evitar o caminho em direção a uma era pós-antibiótica —, o diagnóstico rápido deverá ser a base da estratégia global de resistência antimicrobiana geral. A Abbott está empenhada em fazer parte da solução, tanto por meio da tecnologia como da educação.

Acesse TestTargetTreat.com
  1. Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Antibiotic Resistance Threats in the United States, 2013. July 2014. http://www.cdc.gov/drugresistance/threat-report-2013/index.html
  2. The Review on Antimicrobial Resistance. Rapid diagnostics: Stopping Unnecessary Use Of Antibiotics. 2015.
  3. Bjerrum, L. et al. (2010) Health Alliance for Prudent Prescribing, Yield and Use of Antimicrobial Drugs in the Treatment of Respiratory Tract Infections (HAPPY AUDIT). 2010. BioMed Central Family Practice, [Online]. Available at: http://www.biomedcentral.com/1471-2296/11/29 2010, 11:29
  4. Maltezou, H.C. et al. (2008) Evaluation of a rapid antigen detection test in the diagnosis of streptococcal pharyngitis in children and its impact on antibiotic prescription. Journal of Antimicrobial Chemotherapy, 62:1407–1412.
  5. World Health Organization (WHO). Antimicrobial resistance Fact sheet. September 2016. http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs194/en/. Accessed October 13, 2016.
  6. The Review on Antimicrobial Resistance. Tackling drug-resistant infections globally: Final report and recommendations. 2016.
  7. Clerc O, Greub G (2010) Routine use of point-of-care tests: usefulness and application in clinical microbiology. Clin Microbiol Infect 16: 1054-1061.
  8. Lesprit, P. and Brun-Buisson, C. (2008) Hospital Antibiotic Stewardship. Curr Opin Infect Dis:21:344-9.
  9. Nowak, M.A. et al. (2012) Clinical and economic outcomes of a prospective antimicrobial stewardship program. Am J Health-Syst Pharm 69:1500-1508.
  10. Carling, P. et al. (2003) Favorable impact of a multidisciplinary antibiotic management program conducted during 7 years. Infect Cont Hosp Epidemiol: 24:699-706.
  11. Kollef, M. et al. (1999) Inadequate antimicrobial treatment of infections: a risk factor for hospital mortality among critically ill patients. Chest 115:462-74 (As Cited by CDC 12 Steps to Prevent Antimicrobial Resistance: Hospitalized Adults) [Presentation])
  12. Bauer K, et. al. (2014) Review of Rapid Diagnostic Tests Used by Antimicrobial Stewardship Programs. Clinical Infectious Diseases 59(S3):S134–45. http://cid.oxfordjournals.org/content/59/suppl_3/S134.full
  13. Shapiro D J, et al. Antibiotic prescribing for adults in ambulatory care in the USA, 2007-2009. Journal of Antimicrobial Chemotherapy 2013.

   

False
accessibility

   

SimNão
accessibility

   

SimNão